Bem-vindo – 24/07/2024 07:04
Previous slide
Next slide

Policiais Civis da 30ª Delegacia prenderam na tarde de ontem um homem, de 36 anos, acusado de matar a esposa (33 anos), crime ocorrido em 02/05/2021, no bairro Zumbi dos Palmares, São Sebastião/DF.

De acordo com a polícia, na data do crime o marido da vítima prestou depoimento e disse que ela teve um mal súbito, vindo a cair sobre o vidro de um aparador localizado na sala da residência e, fruto das lesões causadas pelos estilhaços, sofreu vários ferimentos que a levou a óbito.

Iniciada as investigações, a polícia descobriu que minutos antes do fato houve uma briga entre o casal e, segundo uma testemunha, ouviu pedidos de socorro da vítima, seguido de um forte barulho devidro se partindo.

Após os trabalhos periciais, ficou apurado que a morte ocorreu em virtude de uma grave lesão no pescoço, provocada por arma branca, e não pelos estilhaços de vidro.

A polícia também identificou lesões na mão da vítima que dão a entender que ela, antes de ser fatalmente golpeada no pescoço, tentou se defender do agressor.

Segundo o Delegado-Chefe Ajunto da 30ªDP, Ulysses Luz, há suspeitas de que a motivação do crime seja pelo fato de que a vítima pretendia se separar do acusado.  

Neste caso, a frieza do suspeito causou espanto. Segundo apurado, visando se desvincular da cena do crime e dar ares de veracidade ao suposto acidente doméstico, o suspeito deixou a vítima agonizando e foi para a parte externa da residência fingir que consertava sua motocicleta. Posteriormente, o filho da vítima é quem localizou a mãe ferida e procurou por socorro.  

IMG_1367

Ainda segundo o Delegado, a polícia não mede esforços para reprimir de forma eficiente e enérgicacrimes desta natureza, que na maioria das vezes são cometidos dentro de casa e com poucas testemunhas. Infelizmente, o velho ditado de que em briga de marido e mulher ninguém mete a colher ainda encontra aceitação no nosso ceio social.

O acusado encontra-se preso por ordem judicial e responderá por homicídio qualificado, podendo ser condenado a penas que variam entre 12 e 30 anos de prisão.

LEIA TAMBÉM