Bem-vindo – 13/04/2024 03:47
Previous slide
Next slide

Feminicídio: homem mata companheira e tenta suicídio

De acordo com informações preliminares da 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina), ao entrar na casa, os agentes encontraram três crianças dormindo e o casal desacordado em uma cama, com uma faca ao lado dos dois.

Joanna Pereira foi morta pelo marido, Silvestre Pereira, após uma discussão por causa de dívidas. -  (crédito: Reprodução/redes sociais)
Joanna Pereira foi morta pelo marido, Silvestre Pereira, após uma discussão por causa de dívidas. – (crédito: Reprodução/redes sociais)

Joana Santana Pereira dos Santos, 41 anos, foi vítima de feminicídio pelo marido, Silvestre Pereira, 44, – que tentou se matar em seguida –, no bairro Arapoanga, Planaltina (DF) neste domingo (20/3). Ela é mãe de quatro filhos, entre seis e 17 anos. Após receber uma denúncia de tentativa de suicídio, a Polícia Civil do DF (PCDF) foi até a Quadra 9 da região para averiguar o caso. Como ninguém respondeu aos chamados, os policiais tiveram que arrombar o portão para entrar.

De acordo com informações preliminares da 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina), ao entrar na casa, os agentes encontraram três crianças dormindo e o casal desacordado em uma cama, com uma faca ao lado dos dois. Joana apresentava sinais de esganadura e Silvestre Pereira estava com o pescoço cortado.

A investigação aponta que ele matou a companheira e depois tentou suicídio. Segundo os policiais, depois de assassinar a mulher, Silvestre ligou para a família ameaçando tirar a própria vida. Entretanto, o Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF) conseguiu chegar a tempo de evitar mais uma violência.

Silvestre Pereira estava com dívidas e devendo a agiotas. A 31ª DP informou, preliminarmente, que o motivo da briga do casal e do assassinato pode estar relacionado aos problemas financeiros. Os agiotas estavam ameaçando matar a família de Silvestre, caso o pagamento não fosse feito. A crise provocou uma briga entre o casal.

No Hospital Regional de Planaltina, Silvestre foi preso e está sendo escoltado por policiais durante o tempo em que permanece na unidade hospitalar.

– Ligue 190: Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF). Uma viatura é enviada imediatamente até o local. Serviço disponível 24h por dia, todos os dias. Ligação gratuita.

– Ligue 197: Polícia Civil do DF (PCDF).
E-mail: denuncia197@pcdf.df.gov.br
WhatsApp: (61) 98626-1197
Site: https://www.pcdf.df.gov.br/servicos/197/violencia-contra-mulher

– Ligue 180: Central de Atendimento à Mulher, canal da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres. Serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes, além de reclamações, sugestões e elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento. A denúncia pode ser feita de forma anônima, 24h por dia, todos os dias. Ligação gratuita.

– Delegacias Especiais de Atendimento à Mulher (Deam): funcionamento 24 horas por dia, todos os dias.

Deam 1: previne, reprime e investiga os crimes praticados contra a mulher em todo o DF, à exceção de Ceilândia.
Endereço: EQS 204/205, Asa Sul.
Telefones: 3207-6172 / 3207-6195 / 98362-5673
E-mail: deam_sa@pcdf.df.gov.br

Deam 2: previne, reprime e investiga crimes contra a mulher praticados em Ceilândia.
Endereço: St. M QNM 2, Ceilândia
Telefoes: 3207-7391 / 3207-7408 / 3207-7438

– Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos
Whatsapp: (61) 99656-5008 – Canal 24h

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *