Bem-vindo – 20/04/2024 03:05
Previous slide
Next slide

Soldado da Aeronáutica é preso suspeito de perseguir ex e fazer PIX para enviar mensagens com ameaças, em Valparaíso de Goiás

Segundo Polícia Civil, mulher denunciou que homem descumpriu medida protetiva. Corporação avisou Força Aérea Brasileira, que levou investigado para ficar detido em presídio militar.

Um soldado da Aeronáutica, de 19 anos, foi preso suspeito de perseguir uma mulher, 21, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. Segundo a Polícia Civil, o homem fez transferências de poucos centavos para a vítima por meio de PIX só para mendar mensagens ameaçadoras.

Entre os envios, estavam mensagens como: “acho bom tu nem sair de casa, se não eu te mato” e “de segunda você não passa”.

Em contato com a Força Aérea Brasileira (FAB) por e-mail às 15h14 pedindo uma posição sobre o caso e aguarda retorno.

A Polícia Civil prendeu o soldado na segunda-feira (18), horas após a vítima denunciar que ele havia infringido a medida protetiva e a ameaçado por meio das mensagens nas transferências por PIX e pessoalmente, em frente à casa dela, durante madrugada. A corporação registrou que uma equipe de militares buscou o homem na delegacia e o levou a um presídio militar.

Também de acordo com a Polícia Civil, a vítima bloqueou o soldado nas redes sociais, mas ele começou a criar perfis falsos para conseguir falar com ela e ir à casa da ex pessoalmente. Com isso, a mulher conseguiu uma medida protetiva impedindo o militar de contactá-la.

As investigações indicaram que suspeito e vítima voltaram a se falar e se encontrar, mas houve nova briga, no último sábado (16), e a mulher pediu novamente para que o ex não a procurasse mais. No entanto, foi após essa nova discussão que ele começou com perseguições e ameaças por meio de PIX.

Também de acordo com a corporação, o homem também mandou mensagens ao namorado de uma amiga da vítima ameaçando a ex e o pai dela de morte.

Segundo a Polícia Civil, a ex-namorada denunciou a perseguição à Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), que prendeu o soldado horas depois.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *