Bem-vindo – 22/06/2024 13:58
Previous slide
Next slide

Veja o momento em que Marcola, chefe do PCC, é transferido para Rondônia

Marcos Willian chegou ao Distrito Federal em 22 de março de 2019 escoltado em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) e hoje retornou a Porto Velho (RO); vídeo foi divulgado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres

 (crédito: Anderson Torres/Divulgação)
(crédito: Anderson Torres/Divulgação)

Vídeo publicado nas redes sociais do ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, mostra o momento em que o chefe do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, é transferido da Penitenciária Federal de Brasília (PFBRA). Escoltado, Marcola desembarcou, nesta quinta-feira (3/3), para Porto Velho, em Rondônia, onde ficará preso na unidade de segurança máxima de lá (veja o vídeo abaixo).

Antes de chegar ao DF, Marcola estava em Rondônia. Marcos Willian chegou à capital em 22 de março de 2019 escoltado em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB).

“Hoje, após minucioso planejamento do @depen.mj, efetuamos a transferência do prisioneiro conhecido como Marcola, da Penitenciária Federal de Brasília. Ação de sucesso total, com apoio da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Senasp”, escreveu o ministro no Instagram.

Em 13 de fevereiro de 2019, outros três líderes do PCC já haviam chegado a Brasília em uma operação que retirou 22 integrantes da cúpula da organização criminosa de Presidente Venceslau (SP) para presídios federais.

A transferência de Marcola causou desconforto no governo local. No mesmo dia em que o chefe da facção chegou ao DF, o governador Ibaneis Rocha (MDB) repudiou e disse. “Trazer o crime organizado para dentro da capital da República é uma verdadeira jabuticaba”, afirmou o chefe do Buriti à época.

Veja a nota do Departamento Nacional Penitenciário

Nesta quinta-feira, 3 de março, o Departamento Penitenciário Nacional realizou a transferência do interno Marco Willians Herbas Camacho, que estava custodiado na Penitenciária Federal em Brasília.

O Sistema Penitenciário Federal (SPF) é referência no Brasil e no mundo pelo combate ao crime organizado, mediante isolamento de lideranças criminosas e presos de alta periculosidade, graças a um rigoroso e eficaz regime de execução penal.

Por razões de segurança, o Depen não informará a unidade de destino do preso transferido.

As transferências de presos são medidas rotineiras no SPF e são efetivadas por indicação da inteligência penitenciária, atividade essencial para orientar a definição de estratégias de combate ao crime organizado.

A operação envolve a atuação de outros órgãos de segurança integrantes da estrutura do Ministério da Justiça e Segurança Pública, a saber: Secretaria Nacional de Segurança Pública, por meio da Força Nacional de Segurança Pública; Polícia Rodoviária Federal; e Polícia Federal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *