Bem-vindo – 20/04/2024 03:48
Previous slide
Next slide

Jovem de brasília está desaparecida em Washington, nos EUA á 20 dias, família procura

Mãe de Manuela Cohen, de 17 anos, registrou boletim de ocorrência e relata falta de ação da polícia local. Itamaraty diz que está à disposição da família; reportagem tenta contato com polícia estadunidense.

A brasiliense Manuela Cohen, de 17 anos, está desaparecida há 20 dias, de acordo com a família. A jovem e os pais, Bruno e Sofia, moram em Washington D.C., capital dos Estados Unidos, há 6 anos. a mãe de Manuela, Sofia Keller, contou que a filha saiu para dar uma volta, sozinha e sem celular, no dia 20 de novembro, por volta das 16h. Ela avisou ao pai que voltaria em breve, mas não retornou. No mesmo dia, Sofia diz que abriu um boletim de ocorrência de desaparecimento, mas reclama da falta de ação da polícia local.

Em nota, o Itamaraty disse que está à disposição da família da jovem, Segundo Sofia, um dia depois do desaparecimento de Manuela, ela e o marido receberam uma mensagem de texto, afirmando que seria a jovem. Na mensagem, supostamente de Manuela, ela afirmava que estava “segura”, mas que precisava de um tempo sozinha. Sofia conta que a polícia tentou rastrear o número, mas o resultado foi que ele era “inexistente”. No mesmo dia da mensagem, Sofia e os policiais tentaram ligar, mas Manuela não atendeu. Ela disse, por mensagem, que não queria falar, mas mandou uma foto para “provar que estava bem”.

Buscas

A mãe de Manuela relata que fez contato com todos os amigos próximos da filha. Segundo eles, porém, a jovem não havia comentado nada sobre sair de casa. Eles sugeriram que Sofia procurasse pelo namorado de Manuela. Sofia, que até então desconhecia o rapaz, o procurou. Mas ele negou que teria um relacionamento com Manuela e disse que eles eram apenas amigos. Ele também afirmou que a polícia já tinha o procurado, mas que ele também não tinha notícias sobre a jovem desaparecida.

Além das investigações do detetive particular e dos policiais, a família de Sofia também espalhou cartazes em locais que a jovem costumava frequentar. No entanto, ainda não receberam nenhum retorno.

O que diz o Itamaraty

“O Ministério das Relações Exteriores, por meio do Consulado-Geral do Brasil em Washington, permanece à disposição para prestar assistência consular aos familiares da nacional brasileira.

Em observância ao direito à privacidade e ao disposto na Lei de Acesso à Informação e no decreto 7.724/2012, informações detalhadas poderão ser repassadas somente mediante autorização dos envolvidos. Assim, o MRE não poderá fornecer dados específicos sobre casos individuais de assistência a cidadãos brasileiros.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *