Bem-vindo – 17/04/2024 15:47
Previous slide
Next slide

Perita de Caldas Novas (GO) planejava atentado contra si há pelo menos 15 dias, diz secretário

Segundo Rodney Miranda, Khátia Mendes já está afastada do cargo para responder a processo administrativo disciplinar.

Perita de Caldas Novas (GO) planejava atentado contra si há pelo menos 15 dias, diz secretário
Perita de Caldas Novas (GO) planejava atentado contra si há pelo menos 15 dias, diz secretário

O secretário de Segurança Pública de Goiás, SSP-GO, Rodney Miranda, disse que a perita criminal e chefe do Núcleo de Polícia Científica (SPTC), Káthia Mendes, em Caldas Novas, planejava o atentado contra si mesmo há pelo menos 15 dias. “Ela ela escolheu o local, que era caminho da casa dela, de baixa iluminação, fez todo o planejamento”, revelou.

O “parceiro” do crime, segundo Rodney, é um funcionário da prefeitura. De acordo com secretário, a mulher forneceu a arma – que estava em perícia e tinha numeração raspada -, por meio da chave e o acesso ao local onde ela estava armazenada. “E a arma já estava com a munição. Depois que ele fez o disparo, voltou e a deixou  no mesmo local.”

Vale lembrar, a perita criminal foi baleada no peito em Caldas Novas, na noite de quinta-feira. Ela estava em seu carro no momento em que foi atingida, segundo a Superintendência da PTC. Segundo Rodney, ela teria dito que eram dois homens em uma moto no atentado. Contudo, a Polícia Civil (PC) concluiu que a mulher planejou o próprio atentado com a ajuda de um comparsa, que também irá responder.

O titular da pasta elencou os crimes pelos quais os dois responderão: “Ela vai ser indiciada por fraude processual, peculato, porte ilegal de arma de fogo [porque cedeu arma de crime], vai responder processo disciplinar… Deve ser denunciada, condenada e demitida. Ele da mesma forma, mas também por lesão corporal grave.”

Khátia já está afastada do cargo para responder a processo administrativo disciplinar. Ela tem 11 anos na segurança pública. Ocupava o posto em Caldas há 1,5 ano. “Ela terá toda a oportunidade de defesa. Até a situação estar resolvida, ela não volta.”

Polícia Científica diz que perita de Caldas Novas (GO) que forjou atentado pode ser presa

Perita de Caldas Novas forjou atentado, segundo Polícia Civil (Foto: reprodução – TV Anhanguera)

Suspeitas

tese principal, diz Rodney, era de um atentado. Contudo, a resistência dela em apoiar as investigações gerou suspeitas. Além disso, “a história estava fantasiosa”. Segundo relatos da perita, um carro a fechou e depois chegaram dois motoqueiros, revelou o secretário. Não pediram nada, atiraram e foram embora. “Ela também fazia afirmações desconexas.”

Com a desconfiança, a polícia encontrou uma testemunha, que revelou os planos da mulher. “A possível motivação era mudar de posto, para outra cidade. Em 40 anos de segurança pública, essa é novidade para mim, pela motivação”, diz Rodney.

Questionado se houve pagamento pelo serviço, o secretário afirma que ela disse ter sido um favor. Contudo, isso também será apurado.

Rodney relatou, ainda, que a Polícia não descarta a possibilidade de mais envolvidos. Isso, porque apesar de acreditar que o planejamento tenha pelo menos 15 dias, ele afirma que uma testemunha revelou à corporação que ela já ventilava a possibilidade há cerca de um mês e procurava pessoas para efetuarem o disparo.

Desejo de remoção estava atendimento

Marcos Egberto, superintendente da Polícia Técnico-Científica, informou que Khátia atuava de forma diligente, sem gerar problemas. De acordo com ele, a perita já tinha pedido uma remoção para Anápolis e, não sendo possível, a retirada do cargo de chefia.

A PTC, ele explica, atendeu o segundo e iria providenciar, com tempo, a remoção, uma vez que ela possui família em Anápolis. “Já estava construído com a servidora, atendendo. A remoção era questão de tempo, pois haveria concurso.”

De acordo com ele, todo o grupo recebeu com surpresa a situação.

Marcos Egberto, superintendente da Polícia Técnico-Científica

Investigação

Mais cedo, a Polícia Técnico-Científica (SPTC) informou ao Mais Goiás, por nota, que a perita criminal Káthia Mendes vai responder criminal e administrativamente por seus atos, podendo perder o emprego e até ser presa. A posição vem após a Polícia Civil (PC) concluir que a mulher planejou o próprio atentado com a ajuda de um comparsa, que também irá responder. Ambos confessaram.

Segundo a polícia, um ex-servidor que trabalhava com a perita disse que foi responsável por atirar contra a mulher a pedido dela. Conforme nota divulgada neste sábado (12), o homem informou que retornou ao posto da SPTC em Caldas Novas, onde, no dia seguinte ao atentado, guardou a arma no mesmo armário com as chaves fornecidas pela perita.

“A arma foi apreendida pelas equipes da Polícia Civil no local por ele indicado, dentro do Posto de Atendimento da SPTC em Caldas Novas, que era coordenado pela perita.” A perita, além de confessar, apresentou mais detalhes da ação, segundo a polícia. O inquérito policial será finalizado e encaminhado ao Judiciário.

A polícia informou que ela planejou o ataque contra si mesma para conseguir um reposicionamento dentro da instituição. “Mais detalhes sobre isso serão informados em momento oportuno pela autoridade policial.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *